Coinfecção Leishmaniose Visceral/HIV

A Leishmaniose Visceral (LV) é uma antropozoonose que resulta do parasitismo dos hospedeiros vertebrados por protozoários do gênero Leishmania (Família Trypanosomatidae, Ordem kinetoplastida). No Brasil, a Leishmania (Leishmania) infantum é o parasito responsável pelos casos de leishmaniose visceral e infecta humanos, cães, raposas e marsupiais. A doença acomete o fígado, o baço e a medula óssea do hospedeiro, que se não tratada poderá evoluir para óbito. Entre 2001 e 2011, foram registrados 38.808 casos de leishmaniose visceral humana nas Américas, sendo que 96% dos casos (37.503) aconteceram no Brasil.

Essa semana, Lindoso et al., publicou um importante trabalho demonstrando o aumento significativo de casos de coinfecções HIV/Leishmania infantum no Brasil. A expansão dos casos de infecção por HIV no interior (zona rural) do país, junto a urbanização do ciclo de transmissão da leishmaniose visceral tem contribuído para determinar a história natural dessas duas patologias. A coinfecção HIV/Leishmania infantum contribui significativamente para uma rápida progressão clínica de ambas doenças.

 

Screen Shot 2014-09-24 at 22.26.11

 

A ativação crônica causada pela infecção por Leishmania constitui  um fator importante para o agravamento do estado clínico de pacientes infectados com HIV, contribuindo para o aumento da carga viral, a proliferação de células T, e a morte celular induzida por ativação. Por outro lado, a infecção pelo HIV impede a proliferação de linfócitos T específicos contra Leishmania e a produção de IFN-γ, favorecendo a disseminação do parasita. Os pacientes com leishmaniose visceral e coinfectados com HIV apresentam mais recaídas e letalidade. Portanto, é indicado o início da terapia antiretroviral, incluindo inibidores da protease, o mais cedo possível.

Nesta revisão sistemática, o autor descreve os estudos sobre a imunopatogênese desses casos de coinfecção, revelando a necessidade da formação de uma rede na América Latina para estimular os estudos nessa área e melhorar a compreensão das manifestações clínicas e aspectos imunopatogênicos de LV em pacientes imunossuprimidos.

Lindoso JA, Cota GF, da Cruz AM, Goto H, Maia-Elkhoury AN, Romero GA, de Sousa-Gomes ML, Santos-Oliveira JR, Rabello A. Visceral Leishmaniasis and HIV Coinfection in Latin America. PLoS Negl Trop Dis. 2014 Sep 18;8(9):e3136.

Postado originalmente por Ricardo Khouri no SBlogI 

Últimas Publicações