Jovem Imunologista  – Alergias – 4ª Aula

Vivemos expostos a diferentes substâncias do meio externo, como poeira, pólen, alimentos, medicamentos, proteínas de insetos, grama, dentre outras. Tais substâncias recebem o nome de alérgeno e normalmente são inofensivas ao nosso organismo. No entanto, às vezes esses alérgenos causam reações, que conhecemos como alergia ou resposta alérgica. Mas por que isso acontece? O que é alergia?

Uma resposta alérgica, nada mais é do que uma resposta imunológica exacerbada (exagerada) à um alérgeno. A genética da pessoa, o ambiente (presença de muitos alérgenos) e a idade (crianças são mais suscetíveis) são fatores importantes que estão relacionados com a predisposição à alergia.

Mas como que essa resposta é desenvolvida? Primeiro, o alérgeno é reconhecido por células apresentadoras de antígenos, como macrófagos, que irão apresentar o alérgeno para um linfócito T específico. Ao mesmo tempo, um linfócito B, que também é específico ao alérgeno, é ativado. Posteriormente, esse linfócito T irá auxiliar o linfócito B a produzir anticorpos da classe E, os quais chamamos de IgE. Uma vez produzida em quantidade, a IgE se liga a receptores presentes na superfície de células chamados mastócitos. Quando um mastócito possui moléculas de IgE expostas em sua membrana, dizemos que este mastócito está sensibilizado. Até este momento nenhum sintoma da alergia foi manifestado. No entanto, quando se entra novamente em contanto com o mesmo alérgeno, ele pode se ligar às IgE presentes na membrana dos mastócitos e induzir a liberação de moléculas pró-inflamatórias, como a histamina. Uma vez liberada, a histamina vai causar à vasodilatação (aumento diâmetro dos vasos sanguíneos), edema (inchaço), eritema (vermelhidão) e a irritação (como espirros, coceira). Se a alergia afetar as vias aéreas, pode ocorrer fechamento dos brônquios, gerando falta de ar.

Existem vários tipos de alergias, e dependendo do tipo, os sintomas podem ocorrer na pele (coceira, vermelhidão, bolhas), no sistema digestório (vômitos e diarreia), no trato respiratório e, em casos extremos, pode ocorrer uma reação global (sistêmica), afetando todo o organismo e causando a queda da pressão arterial (choque anafilático) e fechamento da glote, o que impede a respiração e pode levar a morte.

Mas calma, existem vários modos de tratar uma alergia! O primeiro passo é descobrir qual é o alérgeno que causou a doença e assim tentar afastá-lo da sua rotina. Uma vez que a resposta alérgica já está estabelecida, alguns medicamentos podem ser utilizados. Dentre os principais medicamentos temos os anti-histamínicos, que irão impedir a ação da histamina no organismo, e os corticoides, que são anti-inflamatórios potentes e irão inibir a resposta inflamatória indesejada gerada pelo alérgeno.

Link do vídeo da aula