Cientistas desenvolvem uma nova estratégia para o tratamento de uma doença que ainda mata milhões

A sepse é uma condição patológica em que o paciente apresenta uma resposta inflamatória sistêmica, causada principalmente quando bactérias conseguem penetrar no organismo ganhando a circulação. Apesar dos avanços da medicina moderna, o tratamento de pacientes com sepse ainda é muito difícil, constituindo um grande desafio para cientistas do mundo inteiro. Pesquisadores americanos e europeus desenvolveram um sistema inovador para o tratamento de pacientes sépticos. A nova estratégia terapêutica foi inspirada no funcionamento do baço, spleen em inglês. O sistema consiste em filtrar o sangue dos pacientes utilizando esferas minúsculas, denominadas “Biospleen”. As esferas são recobertas com moléculas que se ligam aos patógenos ou a substâncias produzidas por eles, normalmente encontradas no sangue dos pacientes com sepse. Outra vantagem da nova terapia se refere a sua capacidade de não ativar mecanismos de defesa do paciente, também presentes no sangue e normalmente ativados após o contato com substância estranhas ao organismo.

Veja o artigo completo na Nature

Últimas Publicações