Inflamassomas, uma visão geral

Os inflamassomas são diversas moléculas necessárias para ativar uma enzima chamada caspase-1 (tesoura), que cliva os mensageiros da resposta imune (IL-1B e IL-18). Os inflamassomas em sua maioria são formados por uma família com 22 membros denominada de NLRs, receptores localizados dentro da célula com a função de reconhecer os microorganismos (bactérias, vírus, parasitos…). Após ocorrer danos celulares, tal como, o rompimento do fagolisossomo, os inflamassomas são induzidos e a célula é autorizada a liberar IL-1B e IL-18 (Figura 1). Essas duas citocinas irão ativar vários mecanismos celulares que permitem eliminar os mais diversos microorganismos. Vocês sabiam que até mesmo as plantas já tinham esses NLRs? Dessa maneira, pode-se imaginar a importância desses receptores para nós mamíferos, uma vez que os mesmos foram mantidos durante o processo evolutivo. O laboratório de imunoparasitologia da FMRP, estuda à importância desses inflamassomas em resposta à T. cruzi, visto que o entendimento de como a imunidade inata elimina esse patógeno poderá nos ajudar a traçar novos medicamentos e terapia contra esse parasito. Recentemente, o nosso grupo mostrou que o T. cruzi (vermelho) é capaz de ativar o inflamassoma (verde) e IL-B induz a célula produzir óxido nítrico, gás responsável por eliminar o T. cruzi e outros microorganismos. Os inflamassomas também estão envolvidos em diversas doenças não ocasionadas por microorganismos tal como, diabetes, artrite e outras. Para maiores detalhes segue abaixo referências científicas abordando os temas.

Últimas Publicações