Modulação da resposta imunológica na Leishmaniose

As Leishmanioses são doenças crônicas causadas por parasitos do gênero Leishmania. As espécies Leishmania braziliensis e L. amazonensis causam a forma cutânea/mucocutânea da doença, que pode atingir a pele, cartilagens e mucosas do indivíduo infectado. Outra forma de doença é a leishmaniose visceral, que é causada pelos parasitos L. donovani e L. infantum (este último, endêmico no Brasil). A forma visceral acomete o fígado, baço, medula óssea e linfonodos dos indivíduos infectados, levando a uma alta taxa de mortalidade se não tratada. Todas as espécies de Leishmania são transmitidas pelo inseto flebotomínio Lutzomyia longipalpis (popularmente conhecido como mosquito-palha, birigui, cangalha, tatuquira), que inocula o parasito no ato do seu repasto sanguíneo. As formas inoculadas então infectam macrófagos e são capazes de proliferar no interior destas células e, dependendo da espécie do parasito, tem-se o desenvolvimento de lesões na pele ou aumento dos órgãos acometidos, como fígado e baço. Nosso laboratório estuda os mecanismos imunológicos protetores e deletérios durante a leishmaniose visceral.

 

Mais informações: Nature; WHO; Portal da Saúde 

Últimas Publicações