A Sepse

O termo sepse pode ser definido como uma resposta inflamatória sistêmica iniciada após infecção causada principalmente por bactérias, mas também por fungos e vírus. Os sinais e sintomas iniciais são aqueles associados ao quadro de inflamação sistêmica como, febre ou hipotermia, taquipnéia, taquicardia, leucopenia ou leucocitose e edema pulmonar, podendo evoluir para uma disfunção múltipla de órgão, choque e morte.
Apesar dos esforços aplicados na tentativa de desenvolver novas estratégias terapêuticas para o tratamento da sepse, os índices de mortalidade de pacientes internados em unidades de tratamento intensivo (UTI) variam de 30 a 70 %. Além disso, estima-se que os gastos anuais com pacientes sépticos no Brasil situam-se em 17,34 bilhões de reais, sendo que desses, 9,88 bilhões são despendidos com pacientes que não sobrevivem à infecção. Portanto, entender os mecanismos relacionados ao desenvolvimento da sepse com o objetivo de propor tratamentos mais eficazes é um dos objetivos centrais do CRID.
Fontes:

– Instituto Latino Americano de Sepse (2008);
– Hotchkiss, R. S. et al. The pathophysiology and treatment of sepsis. (2003);
– Silva, E. et al. (BASES study) Brazilian Sepsis Epidemiological Study. (2004).

Últimas Publicações