Pesquisadores do CRID desenvolvem teste que pode melhorar o tratamento da artrite reumatoide

A artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica de caráter autoimune caracterizada pela destruição progressiva dos tecidos das articulações. O tratamento com metotrexato (MTX) compreende a terapia padrão ouro e de primeira escolha para doença. Porém, cerca de 40-50% dos pacientes com AR tratados com MTX não apresentam uma resposta terapêutica eficaz, que é determinada somente 3-6 meses após o inicio do tratamento. Assim, os pacientes submetidos a um tratamento ineficaz, apresentam progressão acentuada das lesões articulares, que na maioria dos casos são irreversíveis. Em artigo recente publicado pelos pesquisadores do CRID na revista PNAS foi observado que a expressão de CD39 (molécula envolvida com a geração de adenosina extracelular) em células T reguladoras (Treg) do sangue de pacientes com AR não respondedores ao MTX estava reduzida quando comparada com pacientes respondedores e indivíduos saudáveis. Este fenômeno foi relatado tanto antes (paciente recém-diagnosticado) quanto após o tratamento com MTX, o que permitiu aos pesquisadores desenvolver um teste composto por anticorpos monoclonais capaz de predizer a resposta terapêutica do MTX com base na expressão de CD39 em células Treg como possível biomarcador. Ainda, o artigo revelou achados relacionados ao mecanismo de ação do MTX em mediar efeitos anti-inflamatórios através da geração de adenosina. Todos os dados obtidos foram confirmados através da realização de experimentos em modelos experimentais de AR. Por fim, o teste desenvolvido foi patenteado com o suporte da Agência USP de Inovação e este artigo é um bom exemplo de pesquisa translacional realizada pelo CRID.

Link para o artigo

Últimas Publicações