Novo artigo publicado na área de leishmaniose

Tr-1-Like CD4+CD25-CD127-/lowFOXP3- Cells Are the Main Source of Interleukin 10 in Patients With Cutaneous Leishmaniasis Due to Leishmania braziliensis

A leishmaniose cutânea é uma doença que causa lesões na pele que podem acometer diversas regiões do corpo, e em alguns casos, a doença pode se manifestar na região buco-faríngea. Dentre os pacientes que manifestam esta doença, a maioria desenvolve uma resposta imune adequada contra os parasitas, entretanto, isto não impede o desenvolvimento da doença, e sua cura natural pode levar anos para ocorrer, o que pode ocasionar sequelas, como cicatrizes desfigurantes, principalmente nos casos de doença nas regiões mucosas. Neste trabalho, os autores identificaram o principal subtipo celular que produz a citocina IL-10 em pacientes com leishmaniose cutânea devido à infecção por Leishmania braziliensis. IL-10 é uma citocina anti-inflamatória, que possui a habilidade de suprimir a resposta imune, e os autores observaram que tanto no sangue periférico quanto nas lesões de pacientes infectados com Leishmania braziliensis, há um aumento da produção de IL-10, que é advinda principalmente da subpopulação de linfócitos T CD4+CD25CD127-/lowFOXP3. Além disso, os autores mostraram que essa população celular tem a capacidade de suprimir a produção de TNF-a por outras células do sangue periférico dos pacientes, a qual é uma citocina protetora contra a infecção.  Também foi demonstrado que a produção desta citocina ocorre paralelamente à produção de citocinas pró-inflamatórias, que ajudam a controlar a replicação do parasita, e que quanto maior a produção de citocinas protetoras como IFN-g e TNF-a, também era maior a produção de IL-10. Sendo assim, a produção de IL-10 concomitante à de citocinas protetoras, pode estar induzindo supressão da resposta imune local, consequentemente atrapalhando a eliminação dos parasitas pelo organismo. Com a identificação da principal população celular responsável pela produção desta citocina, torna-se possível o desenvolvimento de terapias que tenham como alvo esta população celular, e levem a uma cura mais rápida e eficaz da leishmaniose cutânea.

Link para o Artigo

Últimas Publicações