Discussão de Artigo Científico – 15/02/16

DIA: 15/02/2016 (segunda-feira)

LOCAL: Sala de Seminários II – Prédio Central – FMRP

HORÁRIO: 11:00 horas

Paper

Sem título

Os macrófagos ajustam suas funções efetoras de acordo com os estímulos extracelulares prevalentes nos tecidos e no microambiente. Podendo adquirir um estado de ativação (polarização) por vias clássicas (pro-inflamatórias) ou alternativas (anti-inflamatórias), e essa plasticidade funcional permite um melhor controle das respostas inflamatórias. A modulação do metabolismo da glicose pode contribuir para adaptação dos macrófagos no meio circundante, tal como o catabolismo distinto da glicose de macrófagos expostos a LPS / IFN-γ ou IL-4.

Nesse trabalho podemos observar as funções efetoras de macrófagos gerados na presença de GM-CSF (GM-MO) ou M-CSF (M-MO), onde demonstraram perfis bioenergéticos distintos. Quando comparam M-MO com GM-MO, o primeiro grupo apresenta menor taxa de consumo de oxigênio e maior taxa de acidificação extracelular (ECAR) que é uma medida de a glicólise aeróbica, bem como maior expressão de genes que codificam para enzimas glicolíticas. No entanto, M-MO exibem uma taxa de consumo de oxigênio significativamente maior e consequentemente uma menor taxa de ECAR. Enquanto a glicólise aeróbica regula positivamente a expressão do mRNA de IL-1β, TNF-α e INHBA em ambos os subtipos de macrófagos, a respiração mitocondrial afeta negativamente expressão de mRNA de IL-6, IL-1β, TNF-α e CXCL10 em M-MO que seriam um padrão mais anti-inflamatório.

O significado fisiológico dos resultados deste trabalho torna-se evidente sob baixas concentrações de oxigênio, em condições de hipóxia o ECAR é aumentado em M-MO de forma dependente da via de HIF-1α e HIF-2α, também aumenta a expressão de enzimas da via glicolítica e genes específicos que são associados com GM-MO. Portanto, esse trabalho nos indica que a GM-MO e M-MO exibem perfis bioenergéticos distintos, e que a hipóxia nesses macrófagos promove um aumento de ECAR de forma dependente de HIF-1α / HIF-2α, modulando o perfil inflamatório dessas células.