Discussão de Artigo Científico – 15/08/16

DIA: 15/08/2016 (segunda-feira)

LOCAL: Sala de Seminários II – Prédio Central – FMRP

HORÁRIO: 11:00 horas

Artigo

As células T CD4+ que expressam o fator de transcrição FOXP3, conhecidas como células T reguladoras (Treg), inibem diversas respostas inflamatórias, dentre elas a resposta imune contra tumores. Dessa forma, um maior infiltrado de células Treg em tumores está associado a um pior prognóstico de pacientes com diversos tipos de câncer. Contudo, o papel das células Treg é controverso no câncer colorretal (CCR), no qual um maior infiltrado de células Treg pode estar indicando uma melhor sobrevida.

Na tentativa de melhor entender essa disparidade, o presente trabalho demonstrou que no CCR, podem haver dois subtipos de tumores de acordo com a quantidade de perfis diferentes de células FOXP3: os tumores com população dominante de células FOXP3high, as quais são capazes de induzir imunossupressão de forma competente, por outro lado, o outro subtipo seria caracterizado por um maior infiltrado de células FOXP3low não supressoras. Esse último perfil de células é diferente das células Treg FOXP3+, uma vez que há ausência de expressão de um marcador de células T naive (CD45RA), além de sua instabilidade de FOXP3 e ainda pela sua produção diferenciada de citocinas inflamatórias.

Nesse contexto, pacientes com CCR e um infiltrado abundante de células FOXP3low apresentaram melhor prognóstico que aqueles com predomínio de FOXP3high.

O desenvolvimento das células FOXP3low depende da secreção de interleucina-12 e do fator de crescimento tumoral (TGF)-beta pelo tecido tumoral e sua presença parece estar relacionada com a invasão dos tumores por bactérias intestinais, especialmente Fusobacterium nucleatum.

Assim, as subpopulações distintas de células T FOXP3+ que infiltram os tumores contribuem de maneira oposta para determinar o prognóstico do CCR. Nessa perspectiva, a depleção de células FOXP3high dos tecidos tumorais pode ser usado como estratégia para o tratamento efetivo do CCR e até mesmo de outros tumores, já que estaria aumentando a imunidade antitumoral, enquanto estratégias que localmente aumentam a população de células não Treg FOXP3low poderiam ser usadas para suprimir ou prevenir a formação do CCR.