Discussão de Artigo Científico – 24/10/16

DIA: 24/10/2016 (segunda-feira)

LOCAL: Sala de seminários II – Prédio Central – FMRP

HORÁRIO: 11:00 horas

Artigo

Uma célula T passa por diversos processos biológicos desde sua geração até exercer sua função de fato. Essas diferentes etapas exigem demandas metabólicas diferentes de acordo com microambiente envolvido. De um modo geral nas etapas de proliferação celular o aumento do metabolismo glicolítico com produção de intermediários para o anabolismo, processo chamado de glicolise aeróbica, caracterizam eventos guiados por vias de sinalização como PI3k/Akt/mTORC. Neste contexto, pouco é conhecido sobre os receptores e as vias de sinalização que induzem o metabolismo proliferativo de células T reguladoras (Tregs), bem como as consequencias deste processo. Um artigo publicado recentemente por Garrietes e colaboradores (Nature immunology 10.1038) demonstrou que o Foxp3, fator de transcrição assinatura de Tregs, é capaz diretamente de regular negativamente a sintese proteínas envolvidas com as via de sinalização (Akt/mTORC) e com o metabolismo proliferativo, e positivamente o metabolismo oxidativo. Assim, a maquinária envolvida com a diferenciação de Tregs propicia a redução da atividade proliferativa desta célula. No entanto, também foi demonstrado que a ativação de TLR1/2 é capaz de induzir a proliferação de Tregs via Akt/mTORC1, e consequentemente o aumento da glicolise aeróbica e a redução do metabolismo oxidativo. Estes eventos levam a proliferação de Tregs, porém, reduzem a estabildiade destas células levando a perda da sua função supressora. Desta forma, fatores que levam a proliferação de Tregs podem contribuir para a perda da estabilidade e função destas células, sugerindo que a reprogramação metabólica é central para este evento.  Isso fortalece a ideia de que em um ambiente infeccioso, os ligantes de Toll podem reduzir a função de Tregs permitindo assim a função de células efetoras. Posteriormente em um fase de resolução na qual os ligantes de Toll estão reduzidos, as Tregs retomam seu metabolismo caracteristico e recuperam sua função para e reparo tecidual.

img