Discussão de Artigo Científico – 06/04/2018

DIA: 06/04/2018 (sexta-feira)

LOCAL: Salão Nobre – Prédio Central – FMRP

HORÁRIO: 11h00

O número de pessoas que apresentam asma tem aumentado nas últimas décadas. Essa maior prevalência pode ser explicada pela hipótese da higiene, que postula que uma menor exposição a infecções na infância está ligada a um aumento na incidência de asma e alergias mais tarde. Deste modo, crianças que cresceram sob condições favoráveis a infecções, como: um grande número de irmãos ou exposição a animais de estimação e animais de fazenda, apresentam menor probabilidade de desenvolver asma durante a vida. No artigo, publicado na Nature Immunology, em 2017, Machiels e colaboradores observaram a correlação entre infecções virais infantis e menor incidência de asma em modelo experimental. Eles demonstraram que macrófagos alveolares (MAs) são eliminados durante a infecção viral com o Herpesvírus murino 4 (MuHV-4). Após a infecção viral, a população de MAs é reestabelecida, porém por células de origem mielóide. Essas novos MAs possuem características distintas dos MAs de origem fetal, e são capazes de protegerem camundongos da asma por interferir na habilidade de células dendríticas em induzirem uma resposta imune do perfil TH2.

Post - D

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Figure 1 Herpesvirus infection induces persisting changes in alveolar macrophages that protect against asthma. (a) In the absence of a previous MuHV-4 infection, resident alveolar macrophages (AMs) cannot prevent DCs frominducing a strong TH2 response in HDM-induced asthma. (b) MuHV-4 virus infection induces death of AMs and a regulatory phenotype in the infiltrating monocytes that are differentiating into AMs. Long-term-persisting monocyte-derived AMs inhibit HDM-induced asthma by selectively interfering with the ability of DCs to trigger a TH2 response, without affecting TH1 response.

Imagem obtida de: Trained macrophages support hygiene hypothesis. Nature News & Views, 2017