Discussão de Artigo Científico – 11/05/2018

DIA: 11/05/2018 (sexta-feira)

LOCAL: Sala de Seminários II – Prédio Central – FMRP

HORÁRIO: 11:00 horas

Artigo

As respostas mediadas pelo sistema imune ante qualquer infeção ou invasão por parte de organismos patógenos tem que ser amplamente reguladas com o fim de neutralizar a ameaça, mas evitando qualquer dano no hospedeiro. As células T podem se diferenciar em diferentes subclases (Th1, Th2, Th17) com o objetivo de neutralizar especificamente diferentes tipos de patógenos, porém, muitas vezes, as respostas podem ser descontroladas e levar ao desenvolvimento de imunopatologias. Do mesmo modo o sistema imune conta com diferentes estratégias para regular as diferentes respostas pró-inflamatórias, através da geração de células T reguladoras ou a produção de citocinas anti-inflamatórias como o caso da IL-10. Apesar de se conhecer a importância da IL-10 no controle das respostas inflamatórias, pouco é sabido sobre sua regulação e os mecanismos que controlam sua produção. Um dos fatores de transcrição importantes para a expressão dessa citocina é o c-Maf, no entanto, seu papel na produção de IL-10 in vivo ou num contexto de doença ainda não foi demostrado. Gabryšová e colaboradores tentaram decifrar quais são as redes transcricionais que governam a produção de IL-10, para isso se centrarem nas diferentes subclases de células T, estudando-as num modelo específico de doença para cada tipo de célula. Para determinar o papel da c-Maf na resposta Th1, Th2 e Th17 foram escolhidos os modelos de malária, alergia induzida por acaro e encefalomielite experimental respectivamente (EAE). Inicialmente, os resultados mostram que todos os tipos de células T expressam IL-10, e que essa produção é diretamente proporcional com a expressão de c-Maf. Por outro lado, quando se estuda a deficiência de c-Maf em células CD4+ em cada tipo de doença, observa-se um agravamento da doença, explicado possivelmente pela ausência da produção de IL-10. No entanto, no modelo de EAE foi observado a melhora dos sintomas diminuição de células Th17 e aumento de células T reguladoras. Para entender quais são as redes transcricionais reguladas por c-Maf os autores usaram técnicas de integração genômica (RNA-seq, CHIP-seq e ATAC-seq) com o objetivo de investigar quais são os possíveis sítios de ligação de c-Maf. Desta forma foi possível identificar que c-Maf se liga diretamente no promotor do gene da IL-10 promovendo sua expressão, e adicionalmente pode modular indiretamente o balanço entre células Th17 e células Treg através da expressão de IL-2 em células CD4+, a qual pode neutralizar a expressão de RORy nas células Th17 e aumentar a expressão de FOXP3 em células T reguladoras. Esses resultados são muito interessantes uma vez que demonstram  que o sistema imune é capaz de reagir de maneira diferente dependendo do contexto patológico em que se encontre e que as redes transcricionais são reguladas de maneiras diferentes de acordo ao tipo de resposta que é necessário apresentar, sendo c-Maf assim um importante modulador das respostas anti-inflamatórias mediadas pelas células T.

post5

  1. Gabryšová L, Alvarez-Martinez M, Luisier R, Cox LS, Sodenkamp J, Hosking C, Pérez-Mazliah D, Whicher C, Kannan Y, Potempa K, Wu X, Bhaw L, Wende H, Sieweke MH, Elgar G, Wilson M, Briscoe J, Metzis V, Langhorne J, Luscombe NM, O’Garra A. c-Maf controls immune responses by regulating disease-specific gene networks and  repressing IL-2 in CD4(+) T cells. Nat Immunol. 2018 May;19(5):497-507. doi: 10.1038/s41590-018-0083-5.
  2. Haining WN, Weiss SA. c-Maf in CD4(+) T cells: it’s all about context. Nat Immunol. 2018 May;19(5):429-431. doi: 10.1038/s41590-018-0087-1.

 

 

 

 

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn