CRID realizou com sucesso a Escola São Paulo de Ciência Avançada em Bases Moleculares das Doenças Inflamatórias em Ribeirão Preto-SP

As doenças inflamatórias constituem um grupo complexo e heterogêneo de doenças que afeta mais de 10% da população mundial. As alternativas de tratamento disponíveis atualmente são limitadas e, em alguns casos, ineficazes, considerando que ainda não conhecemos totalmente os mecanismos moleculares que geram o processo inflamatório.

O tema foi debatido por especialistas na Escola São Paulo de Ciência Avançada em Bases Moleculares das Doenças Inflamatórias, que ocorreu de 04 a 14 de novembro no Hotel JP, em Ribeirão Preto – SP. A organização é do Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias (CRID), um Centro de Pesquisa em Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP, com sede na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto (FMRP-USP). O evento conta com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) na modalidade Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA).

A ESPCA em Bases Moleculares das Doenças Inflamatórias reuniu 130 pesquisadores de 17 países e 5 continentes. A Escola teve como objetivo apresentar e discutir o que se tem de mais moderno na pesquisa básica e aplicada em inflamação, focando nos aspectos moleculares que são fundamentais para a descoberta de novos alvos que, por sua vez, servem de base para o desenvolvimento de novos medicamentos e terapias.

“As doenças inflamatórias crônicas afetam cerca de 10% da população mundial. Além desse grande impacto, muitas doenças, que não têm inflamação como causa clássica – como câncer e doenças cardiovasculares –, estão associadas à resposta inflamatória. No câncer, por exemplo, a inflamação tem papel no desenvolvimento e progressão tumoral”, disse José Carlos Farias Alves Filho, professor da FMRP-USP e coordenador da ESPCA em Bases Moleculares das Doenças Inflamatórias.

Sobre a Escola São Paulo de Ciência Avançada

A FAPESP já financiou dezenas de Escolas São Paulo de Ciência Avançada que reuniram milhares de estudantes e pesquisadores de diversos países. A ESPCA oferece recursos para a organização de cursos de curta duração em pesquisa avançada nas diferentes áreas do conhecimento no Estado de São Paulo e em temas avançados de ciência e tecnologia, contribuindo para a formação dos participantes e criando no Estado de São Paulo um polo de atração de talentos científicos competitivo mundialmente.

Os professores que lecionam as disciplinas nas ESPCA são pesquisadores de alta visibilidade mundial, evidenciada por meio de elementos como o recebimento de prêmios científicos de alto nível, publicações de impacto reconhecidas pela comunidade científica e liderança em organizações de destaque internacional.

Os estudantes participantes das ESPCA devem estar matriculados em cursos de graduação ou pós-graduação no Brasil ou exterior, sendo potenciais candidatos aos cursos de Mestrado, Doutorado ou estágios como Pós-doutores em instituições de ensino superior e pesquisa no Estado de São Paulo. Também poderão ser aceitos jovens doutores.

Cada ESPCA recebe cerca de 100 estudantes, dos quais em torno de 50% são do exterior. Para manutenção dos estudantes selecionados, a ESPCA cobre passagens aéreas, despesas de transporte terrestre local (aeroporto-hotel) e diárias na cidade que sediará a escola.

As solicitações devem ser submetidas para análise atendendo as Chamadas de Propostas anunciadas pela FAPESP. Para maiores informações acesse: http://espca.fapesp.br/inicial/