Equipe de pesquisadores do CRID conduz pesquisa de novo alvo terapêutico para COVID-19

As redes de DNA liberadas de células imunes conhecidas como neutrófilos podem causar muitos dos danos aos tecidos associados a infecções graves por SARS-CoV-2 durante a COVID-19, de acordo com estudo realizado por pesquisadores do Crid, liderados pelo Prof. Fernando Cunha tendo como autor principal  o Dr. Flavio Protásio e que foi publicado em 14 de setembro de 2020 na renomada revista científica americana Journal of Experimental Medicine (JEM).

O Dr. Protásio que é Pos-doutor do CRID e bolsista da FAPESP, menciona que  muitas pessoas infectadas com o vírus SARS-CoV-2 apresentem sintomas relativamente leves, alguns pacientes desenvolvem uma resposta inflamatória excessiva que pode danificar os pulmões e causar a síndrome do desconforto respiratório agudo, levando a níveis baixos de oxigênio no sangue e, potencialmente, a morte do paciente. Um indicador precoce de COVID-19 grave é um aumento do número de neutrófilos circulantes, um tipo de glóbulo branco. Os neutrófilos podem capturar e matar micróbios invasores desenrolando seu DNA e liberando-o da célula para formar as armadilhas extracelulares de neutrófilos (NETs do inglês neutrophil extracellular traps. Dr. Protássio, informa que   em achados prévios, o grupo descreveu que as NETs participam das lesões pulmonares observadas em pacientes internados, em estado grave, por essa doença. Ainda, em experimentos em cultura de células (in vitro), foi demonstrado que o vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, pode induzir a formação da NETs em neutrófilos e que as NETs induzem morte de células epiteliais pulmonares. Estes resultados permitiram sugerir que os inibidores da síntese ou promotores da fragmentação de NETs tem potencial para tratamento dos pacientes com COVID-19.

No artigo que foi recém-publicado no JEM os pesquisadores do Crid estão associando aos resultados acima mencionados, os mecanismos moleculares envolvidos na indução da produção das NETs nos neutrófilos infectados pelo vírus SARS-CoV-2. Descrevemos, de maneira clara, que a entrada do vírus nos neutrófilos é dependente da enzima conversora de angiotensina (ACE2, do inglês angiotensin conversor enzyme 2) e da serino-protease TMPRSS2, que interage com a proteína S (Spike) do SARS-CoV-2. Demonstramos também que essas vias, bem como o ciclo replicativo viral são cruciais para a liberação das NETs. No conjunto, os resultados que estão sendo publicados na JEM, além de demonstrar o papel das NETs nas lesões pulmonares observadas na Covid-19, descreve também os mecanismos moleculares envolvidos na liberação deste importante mediador, o que amplia, de forma substancial, o entendimento da fisiopatologia da COVID-19.

Representação esquemática do processo de lesão tecidual causada pelas NETs e mecanismo de infecção por SARS-CoV-2 em neutrófilos que culmina na liberação de NETs.

Link do artigo original: https://rupress.org/jem/article/217/12/e20201129/152086/SARS-CoV-2-triggered-neutrophil-extracellular?searchresult=1